segunda-feira, 2 de abril de 2012

Derradeiro Leito (versos octossílabos - ritmo 2,4,8)


(W. H. Harrington. Wreck of Sea Venture)

Derradeiro Leito

Oh! céu da eterna noite escura!
Oh! mares fartos de pesares!
Tão triste vara pelos ares;
Meu canto cheio de amargura.

Se mais não tenho uma ventura,
Se mais não calmo são os mares,
Boa sorte é se mil azares;
Me atarem firme à morte dura.

Ah! que estes mares agitados;
Aceitem ser meu triste leito,
Guardando sonhos maculados,

E, num tormento mais violento,
Enfim arranquem de meu peito;
Amor, saudade e sofrimento.


Ivan Eugênio da Cunha



4 comentários:

Febo Vitoriano disse...

Que lindo!

Elcio Tuiribepi disse...

Gosto de poemas nesse estilo...as rimas brincam trocando de lugar..rs
Uma ótima Páscoa amiga...um abraço na alma
Beijo

Hilton Valeriano disse...

Belo soneto! Não conhecia esse poeta. Deve em breve figurar no Poesia Diversa.

Ivan disse...

Muito agradecido pelos comentários.

REVIVALISMO LITERÁRIO


Poesia Retrô é um grupo de revivalismo literário fundado por Rommel Werneck e Gabriel Rübinger em março de 2009. São seus principais objetivos:

* Promoção de Revivalismo;

* O debate sadio sobre os tipos de versos: livres, polimétricos e isométricos, incluindo a propagação destes últimos;

* O estudo de clássicos e de autores da História, Teoria, Crítica e Criação Literária;

* Influenciar escritores e contribuir com material de apoio com informações sobre os assuntos citados acima;

* Catalogar, conhecer, escrever e difundir as várias formas fixas clássicas (soneto, ghazal, rondel, triolé etc) e contemporâneas (indriso, retranca, plêiade, etc.).