quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

ANJO


Anjo

Dize-me, ó anjo perfeito,
Que guardas dentro do peito
Meu coração,
Por que tu és a ventura
Que há tanto tempo procura
Minh'ama em vão?

Aureliano Lessa


Eu amo teus olhos — chorando ou rindo, —
Amo teus lábios rúbeos e pequenos,
Amo-te mesmo quando estás mentindo;
Ah, são deveras doces teus venenos,

E teu sorrir, que ínclito! que lindo!
Até os teus chorares, que serenos!
A tua face é de esplendor infindo,
Teu corpo são sonhos de amor replenos;

Tudo em ti é solene e encantador,
Não há mais feérica obra de arte,
Que tu, o meu eterno anjo de amor!

Quero eu continuamente amar-te,
Entre risos ou lágrimas de dor,
E de amores morrer, após beijar-te!...
Renan Caíque

domingo, 14 de outubro de 2018

O Mal do Século - Renan Caíque

O meu primeiro livro de poemas "O Mal do Século" será lançado dia 30 de novembro, mas já se encontra na pré-venda, e com desconto.Para quem tiver interesse em adquirir, segue o link: https://www.soturnos.com/product-page/o-mal-do-s%C3%A9culo



Sobre o Livro: O livro, escrito de 2012 a 2018, é composto em sua maioria de poemas, sobretudo sonetos, mas traz também algumas prosas.  O título faz referência à maior influência artística do autor: o período literário da Segunda Geração Romântica, que ficou conhecida como "O Mal do Século" e "Ultrarromantismo" e aos seus autores. Os ultrarromânticos eram jovens poetas extremamente sensíveis que se sentiam impotentes diante de uma sociedade materialista que tornava irrealizáveis os seus sonhos, e viam o homem de sua época como um ser fragmentado, relegado a uma simples peça da engrenagem social. Eles acreditavam que o espírito humano busca sempre a perfeição, porém, o homem é incapaz de atingi-la por ser uma criatura imperfeita; e a constatação dessa impossibilidade produz insatisfação, angústia e uma obsessiva atração pela morte, encarada como saída definitiva para resolver tal insaciedade. Esses poetas, geralmente, não conseguiam se adaptar a esta sociedade que os não compreendia, o que os levava à solidão e à criação de seus próprios mundos interiores. Além do Ultrarromantismo, o livro traz várias características e referências da Literatura Gótica e do Simbolismo. 

Sobre o Autor: Renan Caíque (28/09/1993) é de Teófilo Otoni/ MG. Funcionário público estadual e graduando em Ciências Contábeis na UFVJM(Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri). Amante de Literatura e Arte em geral, escreve desde os 13 anos influenciado sobretudo por autores clássicos como Álvares de Azevedo, Lord Byron, Shakespeare, Goethe, Schiller, Alfred de Musset, Percy Shelley, John Keats, Hermann Hesse, Oscar Wilde, Edgar Allan Poe e Charlotte Brontë.. Já colaborou escrevendo para diversos sites, blogs, revistas, fanzines, jornais, ganhou alguns concursos literários e tem vários textos publicados em antologias literárias. "O Mal do Século"(2018) é o seu primeiro livro solo. 

*Os livros serão enviados a partir de 20 de novembro. 

quinta-feira, 20 de julho de 2017

A Confissão de um Filho do Século


A Confissão de um Filho do Século




Amei-te, amor, enquanto tive ensejo,
E se sobejo foi o meu amor
É porque tivera eu sempre o desejo
De teu beijo frio e arrebatador.

E nunca sei se por dor ou por pejo,
Jamais eu aprendera como expor
O amor pelo qual sofro e lacrimejo,
Num leito malfazejo de amargor.

Ó linda senhorita, doce ardor,
Tuas lágrimas são languidescentes,
Teus anseios perpétuos e latentes...

Ó enevoado e frio anjo de Amor
Os meus prantos por ti são eternais,
Almejo por ti sempre mais e mais...

Renan Caíque

terça-feira, 11 de julho de 2017

AD INFINITUM


Ad Infinitum

Tremula o sol em tons crepusculares,
A bruxulear a chama no ocidente;
De passo em passo os cirros pelos ares
Dissipam-se no azul do céu morrente;

E a noite vem trazer os seus milhares
De astros que emergem gradativamente...
São luminosidades singulares
Da Via Láctea pródiga e imponente.

...E no fulgor da plácida paisagem,
Oriunda de um efêmero sentido,
Vestem-se aos olhos meus a tua imagem,

Feita de estrelas, céus e imensidades...
A tudo então contemplo, sucumbido,
Ante a visão perpétua das saudades.

Derek SCastro
Julho de 2017

*Regressando ao âmbito da poesia, eu venho trazer esta nova criação.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

CONVOCAÇÃO PARA O II E-BOOK DE POESIA RETRÔ



Saudações, Ilustre Plêiade e Leitores!

Estamos organizando uma nova antologia para nosso blog. O blog Poesia Retrô convoca todos os seus escritores membros e não-membros para a participação do II E-BOOK DE POESIA RETRÔ. Eis todas as diretrizes e informações:


1. A participação e divulgação da coletânea de poesias é totalmente gratuita e sem fins lucrativos, a finalidade é plenamente cultural, literária e de defesa da poesia. O livro será em forma de e-book a ser baixado gratuitamente na página literária de Rommel Werneck no recanto das letras. O I E-BOOK DE POESIA RETRÔ pode ser baixado AQUI


2. Cada poeta deverá enviar 4 poesias + minibiografia. As poesias devem estar de pleno acordo com a proposta estética de nosso blog, isto é, seguir o estilo revivalista. Dúvidas? Que tal acessar os links abaixo?

Por que Poesia Retrô?

Características - Poesia Retrô



3. Só serão aceitos sonetos em versos isométricos, mas aceitam-se sonetos em versos brancos. Serão aceitos versos livres em indrisos, poemas livres e outras formas fixas que permitem tal prática. Mas daremos prioridade a textos isométricos. 


4. Nossa equipe julga-se no direito de rejeitar poemas enviados que estejam em desacordo às diretrizes 2 e 3.


5. Na primeira antologia foram feitos glossários já que algumas palavras são SIM desconhecidas e alguns poetas usam epígrafes e termos em língua estrangeira (latim, grego etc). Sendo assim, ainda que representantes do Pós-Pós-Modernismo desgostem, estuda-se a possibilidade de realizar novamente glossário e notas de rodapé.


6. Como na antologia anterior, o e-book consistirá de um texto de abertura de criação coletiva. A participação é facultativa. Informações adicionais perguntar por e-mail.

7. Os textos devem ser enviados em arquivo WORD em qualquer fonte legível até 30 de outubro de 2017 pelo e-mail rommel_dickens@hotmail.com

8. Planeja-se também um ato/ encontro comemorativo presencial para participantes de São Paulo, na capital. 






sempre seu,
Rommel Werneck


segunda-feira, 28 de março de 2016

JORRANDO





JORRANDO 


Jorrarei vigorosa e branca lava 

Osculando-te a boca de água nívea
No silêncio dos gritos que reinava


Aos deleites da carne pecadora

Tateando-te em cândida lascívia
À garganta profunda e sofredora


Se salivas, se ingeres meu melado



Não importa! Me importa ter jorrado!



Rommel Werneck

sábado, 25 de abril de 2015


A lua de Hamlet


Ó noite, o que fizeste com a lua?
Ela não vem... Quanta solidão!
O teu zênite esconde a escuridão
que não pode ser minha, apenas tua.

Sempre há um ponto brilhante que me alua
ao contemplar o brilho plúmbeo e vão.
O perduro resiste a esta ilusão?!
Ó noite, por que me escondes a lua?

Deixe-a resplandecer neste Universo
que é o oposto de todo e qualquer ser.
Ser, homem, besta, fera... Tão perverso.

Ó noite, deixe a lua me entreter!
Quando todo este mundo é o teu inverso,
somente esta Ofélia é o que espero ter.



Parnaíba, 28 de dezembro de 2014.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Pra sempre...


Dizei senhora minha dos enfados
que rondam vossa alma e a entristecem!
Dizei de sonhos belos que fenecem
em anos, vossos, tenros, desejados!

Bebei desses meus versos dedicados
àquela por quem anjos enlouquecem
e céleres à Terra, lindos, descem;
protegem-na, meninos animados...

À beira mar a tez vossa rebrilha!
A areia geme sob o vosso andar
e as ondas vêm a praia vos beijar...

Senhora minha sois a maravilha!
Ao vosso olhar meu sangue assaz fervilha!
Deseja ao vosso sangue se juntar...


Ronaldo Rhusso

sexta-feira, 27 de junho de 2014

CHEIRO DE CHUVA




Cheiro de chuva chegando p’ra mim....
O coração se encharcando de chamas....
A água que deixa chumaço sem fim...



Cheiro de chuva, uma flecha de drama
Fechando a chave o arrebol do jardim....
É enxurrada de haxixes e lamas!


E quando a chuva à luxúria se enfaixa,



Minha paixão a teu charme se abaixa.



Rommel Werneck

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Perfeição

 Perfeição

Perguntam para mim da perfeição:
"Onde está? Onde esconde-se? Onde mora?
Onde encontro seu rosto mundo afora?
Qual, enfim, sua significação?"

E sem que eu lhe responda, ele completa:
"O círculo perfeito é abstração
E não possui no mundo uma expressão;
A toda perfeição, o mundo veta!"

Imperfeita é a coisa por não ser
Igual da coisa a idéia que se fez?
Penso e penso e me ponho a responder:

"Não vês? A perfeição está aqui!
Está em tudo, tudo que tu vês!
Tudo é perfeitamente igual a si."


Ivan Eugênio da Cunha

REVIVALISMO LITERÁRIO


Poesia Retrô é um grupo de revivalismo literário fundado por Rommel Werneck e Gabriel Rübinger em março de 2009. São seus principais objetivos:

* Promoção de Revivalismo;

* O debate sadio sobre os tipos de versos: livres, polimétricos e isométricos, incluindo a propagação destes últimos;

* O estudo de clássicos e de autores da História, Teoria, Crítica e Criação Literária;

* Influenciar escritores e contribuir com material de apoio com informações sobre os assuntos citados acima;

* Catalogar, conhecer, escrever e difundir as várias formas fixas clássicas (soneto, ghazal, rondel, triolé etc) e contemporâneas (indriso, retranca, plêiade, etc.).