sábado, 18 de fevereiro de 2012

LIRA



Arranca os versos seus da sua solitude,
Do modo que sonhou, do jeito que queria,
Sem cultivar tristeza, ira ou alegria,
Amealhando a paz de toda latitude.

E assim sufoca a sua dor, sua inquietude,
E a lança no infinito em forma de poesia,
Em rito sacrossanto, pura epifania,
Que se dispersa ao léu, em sua plenitude.

E tange a lira mais etérea do parnaso
A dedilhar as frágeis cordas da emoção
que vibram e gemem ao nascer de cada verso...

E a alma voa um vôo livre, leve e raso
Buscando, da poesia, o ventre, em cada vão
Em cada canto de seu mundo e do universo

2 comentários:

Tony poeta pensamentos disse...

Lindo soneto. Uma sensibilidade e um esmero.Parabéns.

Tuam disse...

Edir! Edir! Tuas cordas, sempre afinadas!
Sou fã, sou fã!

REVIVALISMO LITERÁRIO


Poesia Retrô é um grupo de revivalismo literário fundado por Rommel Werneck e Gabriel Rübinger em março de 2009. São seus principais objetivos:

* Promoção de Revivalismo;

* O debate sadio sobre os tipos de versos: livres, polimétricos e isométricos, incluindo a propagação destes últimos;

* O estudo de clássicos e de autores da História, Teoria, Crítica e Criação Literária;

* Influenciar escritores e contribuir com material de apoio com informações sobre os assuntos citados acima;

* Catalogar, conhecer, escrever e difundir as várias formas fixas clássicas (soneto, ghazal, rondel, triolé etc) e contemporâneas (indriso, retranca, plêiade, etc.).