terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PLANGENTE




Minh’alma hoje chora, mui pranteia
Sem mais sonhar os sonhos vãos, doirados,
Daqueles outros tempos já passados,
Que agora alembro, à luz d’uma candeia...

Minh’alma e corpo já estão cansados,
Meus olhos já não veêm a lua cheia,
E minha vida em nada mais s’esteia,
Meus sonhos hoje estão amortalhados...

E lacrimosos são meus longos dias,
E minhas noites são também tristonhas,
Daqueles sonhos meus restou mais nada!

Já fui feliz! Amei! E fui amada!
Vivi serenas tardes, mui risonhas,
Mas hoje minhas noites são vazias...

8 comentários:

Amadeu Paes disse...

Gostei do soneto, alias este clima nostalgico do blog é muito 10.

Um abç.

Hilton Valeriano disse...

Belo, clássico!

Lord Rommel Werneck disse...

Vênus linda. Soneto lindo...

Edir Pina de Barros disse...

Ando numa fase meio lacrimosa, plangente, merencória... parece que meus sonetos são variações em torno de um mesmo tema:Bjs, Edir

Lord Rommel Werneck disse...

Mas isto é bom... Pode render até mesmo um livro

Hilton Valeriano disse...

sir Rommel, a Edir já tem material para um grande livro de estréia! Edir, precisa começar a pensar nisso. A Poesia merece!

Hilton Valeriano disse...

sir Rommel, esse soneto expressa de forma maravilhosa o neo-romantismo!

Lord Rommel Werneck disse...

Verdade. Temos que estar na ativa

REVIVALISMO LITERÁRIO


Poesia Retrô é um grupo de revivalismo literário fundado por Rommel Werneck e Gabriel Rübinger em março de 2009. São seus principais objetivos:

* Promoção de Revivalismo;

* O debate sadio sobre os tipos de versos: livres, polimétricos e isométricos, incluindo a propagação destes últimos;

* O estudo de clássicos e de autores da História, Teoria, Crítica e Criação Literária;

* Influenciar escritores e contribuir com material de apoio com informações sobre os assuntos citados acima;

* Catalogar, conhecer, escrever e difundir as várias formas fixas clássicas (soneto, ghazal, rondel, triolé etc) e contemporâneas (indriso, retranca, plêiade, etc.).