sábado, 30 de maio de 2009

Como chamavam Júpiter




Júpiter e Juno, por Carraci, séc. XVI

Como chamavam Júpiter


Márcio!
Oh, grande Júpiter!
Abre tuas portas a Netuno!

Már_cio!
Teu mar satisfaz meu cio
Teu cio acarinha meu mar.

Márcio,
Deus_Pai do meu Olimpo!

Azul netuno dos meus olhos clama:
Oh, Márcio!

Amo-te!

Denise Severgnini


Imagem:

Júpiter e Juno, por Carraci, séc. XVI

5 comentários:

etcoelhoh disse...

Belo poema, ainda que eu prefira Zeus à Júpiter. Roma foi um curioso caso onde o Império Romano acabou por assumir a cultura grega dando suas pinceladas apenas. Nisso não superaram os filhos de Atenas e Esparta, mas amplificaram suas conquistas. Terminaram por somar o melhor dessas duas cidades e tornaram tão ou mais guerreiros que os espartanos e tã amantes das artes como os atenienses e na luta entre plebeus e patrícios, por um período curto, criaram algo que nem era a democracia ateniense e nem a rígida sociedade espartana. Não a toa foi o império mais duradouro que a humanidade já conheceu e Roma mantem até hoje a pompa que a cidade de Atenas não mais conseguiu manter. Até filha e neta, como Constantinopla e Moscou, Roma conseguiu ter.

etcoelhoh disse...

Falando de Roma, uma poesia que fiz onde o título parte de Roma e a lição fica para qualquer época da humanidade.

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR, A DEUS O QUE É DE DEUS!

Maldito aquele que rouba direitos,
Que de tudo reclama e põe defeitos!
Sujo! Porco! Desonesto! Nojento!
Tudo tem sua hora, tempo e tento!

É hora de pisotear baratas
Que nos matam, migalha por migalha!
É hora de envolvê-los na mortalha
Cerzida por eles pra nossa casta!

Vendido, quem suja do rio o leito,
Que deixa o caminho do outro estreito!
Cuidado! Está chegando o seu momento!

É hora de mostrarmos nossas patas,
Mostrar que trazemos também navalhas
Sem, entretanto sermos vil gentalha!

EDUARDO TERRA COELHO
SÃO PAULO, ABRIL DE 2003.

Camille Claudel disse...

Acho muito legal poemas com temática mitológica! Bjs.

Anônimo disse...

nfhjfgjf

Febo Vitoriano disse...

Gente, a poesia concreta do anônimo me fez ver de novo esse poema lindooo

REVIVALISMO LITERÁRIO


Poesia Retrô é um grupo de revivalismo literário fundado por Rommel Werneck e Gabriel Rübinger em março de 2009. São seus principais objetivos:

* Promoção de Revivalismo;

* O debate sadio sobre os tipos de versos: livres, polimétricos e isométricos, incluindo a propagação destes últimos;

* O estudo de clássicos e de autores da História, Teoria, Crítica e Criação Literária;

* Influenciar escritores e contribuir com material de apoio com informações sobre os assuntos citados acima;

* Catalogar, conhecer, escrever e difundir as várias formas fixas clássicas (soneto, ghazal, rondel, triolé etc) e contemporâneas (indriso, retranca, plêiade, etc.).