sábado, 27 de junho de 2009

Ghazal II



Caminhei por escuras e duras selvas dessa vida
E mesmo ao lado da morte a sorte, ó querida
Nunca me deixou ou mudou meu sorriso.
Cavalguei por florestas e estas feridas
Que tua mão de paixão me deixou, ó querida
Ainda vertem sangue, sem langue ou dor.
São tuas mãos que minha mente somente elucida
E não coisa mais; o demais, ó querida
Para mim não importa, o que importa és tu.
E andei, pelas ruas e luas da noite dormida
Vi medos e segredos, então, ó querida
Jamais eu fraquejei na tua busca eterna.
Caminhei por becos tão secos de vida
E não pude esquecer teu poder, ó querida
E 'inda ando na busca de te encontrar.
Cedos ledos alvores e dores da vida
Ainda estou passando, e cantando ó querida
Vou caminhando e amando sua sombra.
Comentário: Ghazal é uma espécie de poema lírico ligeiro, de origem persa, culminando do século 700 até o século 1700, mais ou menos, costuma ser para canto. Sua estrutura baseia-se em três ou mais estrofea, sendo que o primeiro dístico tem a mesma rima, no segundo verso do dístico há, no final, uma ou mais palavras servindo de refrão para os próximos.

Um comentário:

Donzela Caçadora disse...

Rübinger! O teu texto! Lindo demais, demais, pra mais!
Onde?
Onde?
Onde?
Onde está o Ghazal I?

REVIVALISMO LITERÁRIO


Poesia Retrô é um grupo de revivalismo literário fundado por Rommel Werneck e Gabriel Rübinger em março de 2009. São seus principais objetivos:

* Promoção de Revivalismo;

* O debate sadio sobre os tipos de versos: livres, polimétricos e isométricos, incluindo a propagação destes últimos;

* O estudo de clássicos e de autores da História, Teoria, Crítica e Criação Literária;

* Influenciar escritores e contribuir com material de apoio com informações sobre os assuntos citados acima;

* Catalogar, conhecer, escrever e difundir as várias formas fixas clássicas (soneto, ghazal, rondel, triolé etc) e contemporâneas (indriso, retranca, plêiade, etc.).