segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

ESVANECENDO...


 Esvanecendo...

A Ela

Que dor inda me causa essa ferida,
Quando tu, pelas campas, corredores,
Andavas a cismar cheia d'horrores,
D'olhares reflexivos — distraída.

Longe, qual uma sombra tão perdida,
Tu vinhas pelos fúnebres verdores;
Contemplando a beleza dos clamores,
Duma escultura em mármore, esculpida.

Pelos perpétuos bancos tu sentavas,
Com as mãos ao regaço, solitárias...
E os teus negros cabelos pelos ares...

E arrastando os coturnos tu passavas,
Dentre as tênebras; campas mortuárias,
Na solidão dos prados tumulares.

Derek Soares Castro

6 comentários:

Lord Rommel Werneck disse...

Que lindo!

Hilton Valeriano disse...

"Na solidão dos prados tumulares",-belo! Isso sim um verso! Vejam como os versos verdadeiros não precisam de peripécias linguísticas "neo-barrocas"!

Lord Rommel Werneck disse...

Ah Hilton, lembra do poema da cobra? kkkkkk

Hilton Valeriano disse...

Se lembro.... é que acontece quando se perde o senso estético em prol de imagens...imagens..imagens...

helio.rocca disse...

Lindo poema amigo. Ler-te trás a lembrança de Augusto dos Anjos, Casimiro de Abreu. É um prazer muito grande tê-lo como amigo e poeta.
Parabéns!

Lord Rommel Werneck disse...

É verdade, a chave lembra o "Na augusta solidão dos cemitérios" do Augusto.

REVIVALISMO LITERÁRIO


Poesia Retrô é um grupo de revivalismo literário fundado por Rommel Werneck e Gabriel Rübinger em março de 2009. São seus principais objetivos:

* Promoção de Revivalismo;

* O debate sadio sobre os tipos de versos: livres, polimétricos e isométricos, incluindo a propagação destes últimos;

* O estudo de clássicos e de autores da História, Teoria, Crítica e Criação Literária;

* Influenciar escritores e contribuir com material de apoio com informações sobre os assuntos citados acima;

* Catalogar, conhecer, escrever e difundir as várias formas fixas clássicas (soneto, ghazal, rondel, triolé etc) e contemporâneas (indriso, retranca, plêiade, etc.).